Este livro tem esse título por causa da figura humana de destaque neles, Samuel. Que significa “nome de Deus” ou “pedido a Deus”. No cânon hebraico os dois livros formam um só volume “O Livro de Samuel”, mas foram divididos por dois pelos tradutores gregos (septuaginta) que os chamam de 1 e 2 Reis, os livros que chamamos de 1e 2 Reis tinham o nome de 3 e 4 Reis.

Nosso objetivo é apresentar a história de Israel desde o estado de anarquia até o estado de monarquia teocrática. Da uma descrição religiosa do crescimento da nação, mostrando a futilidade da tentativa de unificação e crescimento nacional por esforço e liderança humana.

O profeta Samuel geralmente é considerado autor de I Samuel 1-24 e Natã e Gade, os autores do restante.

O livro trata como tema do “Estabelecimento de Israel como reino teocrático” sendo que em 2 Samuel, trata do estabelecimento de Davi como o rei teocrático. 

1) O primeiro livro tem a seguinte divisão.

1.1- Ascensão e Governo de Samuel (cap.1-8). 

1.2- Ascensão e Governo de Saul (cap. 9-15).

1.3- Ascensão e Função Antecipada de Davi (cap. 16-31).

2) O segundo livro tem a seguinte divisão.

2.1- Triunfo de Davi como Rei Teocrático (cap. 1-10).

2.2- Aflição de Davi como Homem Imprudente e Apaixonado (cap. 11-20)

2.3- Provação de Davi, uma Disciplina Teocrática (cap. 21-24).

CENÁRIO HISTÓRICO.

A) Período de 1100 a 970 (130 anos). Que cobrem o nascimento de Samuel até o fim do reinado de Davi. Samuel começou a sua liderança com 30 anos. 

40 anos – Opressão dos filisteus. (Livro de Juízes).

40 anos – Magistratura do Sacerdote Eli.

75 anos – Arca em Quiriate-Jearim.

40 anos – Magistratura de Samuel.

40 anos – Reinado de Saul.

40 anos – Reinado de Davi.

B) O estado religioso da nação. Israel estava envolvido na idolatria e imoralidade, embora Eli fosse fiel como sacerdote, ele deixou de honrar a Deus por não disciplinar seus filhos (I Sm 2.29) que serviam no tabernáculo de Siló com flagrante de imoralidade e cobiça, por esse motivo o Senhor proferiu julgamento contra a casa de Eli, o afastando do sacerdócio.

O tabernáculo e a arca tinha estado em Siló, desce Josué até os de Eli. Quando na ocasião da morte de Eli a arca foi roubada, isso durou 75 anos até Davi fazer a arca voltar.

C) O estado político da nação era de “divisões internas” devido o fraco estado espiritual de Israel e o seu fraco estado político. Pois desde a morte de Josué a nação vinha sem uma liderança central. “Opressões externas” os filisteus nessa época fizeram a maior oposição contra Israel, por varia vezes Israel quase foi tomada por eles, devido às muitas guerras. Davi quando assume o reinado vai resolvendo aos poucos, os problemas internos e externos e une a nação  tornado Israel respeitado por todos os povos e região.

CONTRUIÇÕES SINGULARES DE 1 E 2 SAMUEL.

1) Samuel, o que unge Reis.

 A importância de Samuel vem do fato dele ter os dois primeiros reis da história de Israel a mandato do Senhor. Como homem de profundo caráter, representava a Deus como profeta na seleção de reis.

2) A famosa oração de Ana e considerações.

A oração de Ana é considerada uma das mais notáveis da Bíblia. Ana regozija-se na grandeza de Deus e em sua graça de levantar os humildes é insignificantes para confundir os sábios e poderosos. Um sua oração, ela introduziu o uso de dois importantes nomes do Senhor: 1) o primeiro é “Senhor dos Exércitos” usado 300 vezes no A.T. 2) Ana também se refere ao rei divino como seu ungido. Termo interpretado como o “Messias”. Ana afirma em sua oração “O Senhor mata e preserva a vida” aludindo o seu poder.

3) Figura trágica de Eli.

Eli simbolizou a condição em que se achava Israel naquela época, viviam de uma forma de piedade sem poder ou disciplina pessoal. O sacerdote governante perdeu o sacerdócio por dois motivos. O motivo humano foi a falha de Eli em disciplinar seus filhos, que tiravam proveito do sacerdócio para seu próprio lucro. E o Senhor tinha dado o sacerdócio a Finéias, filho de Eliazar como Sacerdócio perpétuo, não a casa de Itamar a qual pertencia a Eli (Nm 25.11-13).

4) Arca perdida: ICABODE.

Eli e seu filhos trouxeram extremo opróbrio a Israel pelo uso supersticioso da arca no combate. O nome dado ao neto de Eli “ICABODE” a glória se foi de Israel. Caracterizou muito bem os 75 anos que a arca esteve separada do tabernáculo. Durante os sete meses que ficou na Filistia, entretanto foi usada para ensinar os filisteus algumas profundas lições sobre o Deus de Israel.

5) Saul, a escolha israelita de um rei “Alto”.

A escolha de Saul feita pelo povo, refletia sua confiança mais na aparência física do que na força espiritual. Os fracassos de Saul foram também decorrentes de fraqueza espiritual. 1) Ele impacientou-se com Samuel e vergonhosamente usurpou a função sacerdotal do sacrifício. 2) Depois de uma vitória parcial sobre os amalequitas, deixou de obedecer a Deus para destruir todos. 3) Quando castigado por Deus tornou-se amargo, em vez de humilde.

6) Davi e Golias.

O grande contraste entre o alto Saul e o pequeno Davi está na escolha divina do jovem pastor , a quem sua própria família não considerava um candidato a rei. Ao derrotar Golias, o maior problema de Davi não foi o gigante ou os filisteus, mas a dúvida e descrença no acampamento de Israel. Sua fé contagiosa foi usada para inflamar a fé e o desempenho da Saul e a suas tropas medrosas.

7) Extraordinário Davi.

Talvez não haja na Bíblia um homem estimado em tão alto grau por Deus e pelos homens como Davi. Foi ele quem estabeleceu o padrão pelo qual Deus avaliou todos os reis posteriores em Israel. O Senhor o usou não somente para estabelecer o reino, mas também para instruir a nação quanto a adoração e ao louvor que lhe são devidos. Davi tinha um profundo amor a Deus. Davi assumiu o trono real como um servo de seu povo, não como senhor. A pesar de não ser perfeito em muitas coisas, mostrou uma capacidade notável de aceitar a própria culpa e reagir positivamente ao castigo do Senhor.

8) Aliança Davídica.

A aliança davidica foi dada para elaborar o aspecto nacional com referência ao rei. Essa aliança prometeu a Davi que seus descendentes teriam direito ao trono de Israel para sempre.

9) Pecado de Davi com Bate-Seba.

Esse caso no auge do reinado de Davi tornou se um divisor de águas em sua vida. O pecado em si aconteceu quase acidentalmente. O fato de olhar por acaso para a esposa do vizinho conduziu a cobiça e o arrastou para o adultério. Quatro foram as consequencias desse pecado. 1) O julgamento que atingiu o coração de Davi e a parda do filho recém nascido. 2) O perdão do Senhor, quando Davi confessou o seu pecado. 3) A colheita do julgamento que Davi ceifou em sua família. Escândalo sexual entre irmãos e o assassinato por outro dois de seus filhos. 4) A graça de Deus para com Davi depois de profundo arrependimento, permitiu que Bete-Seba tivesse de Davi outro filho, a quem o trono seria dado.

10) Tragédia dos filhos de Davi.

Ele teve 12 esposas, 10 concubinas, 21 filhos e 3 filhas. Três de seus filhos mais velhos (Amom, Absalão e Adonias) sofrem o golpe da morte, quando cada um era um herdeiro em potencial para o trono. Parte da culpa é de Davi que conduziu seus filhos de forma compassiva. Os três homens preeminentes de Deus (Eli, Samuel e Davi)  deixaram de disciplinar os seus filhos. Todavia o rei Saul, que não era piedoso, teve um filho dos mais piedosos e nobre do livro.

11) Davi compra o local do Templo.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.