Father and son on a pier relaxing togetherO pai cristão tem a responsabilidade de formar crianças à imagem de Cristo Jesus. O pai deve modelar o filho para o Senhor Jesus Cristo, para que o filho siga os seus caminhos.

Todo pai é um “pastor” do rebanho que Deus lhe concedeu, a sua família. Veja pelo menos três responsabilidades que um pai cristão tem na criação de seu filho:

 

I. O pai devem conduzir seus filhos a Deus (Intercessão)

Os pais que oram por seus filhos providenciam alguma forma de proteção para eles contra as doenças do pecado. O pai intercessor ergue paredes de proteção ao redor de seu filho, preocupando-se com seu bem estar, seu relacionamento com o Senhor, pecado, etc. Mas como orar pelos filhos? Gostaria de sugerir um esboço muito simples que serve como guia na minha oração pelos meus seis filhos.

Os pais cristãos devem orar por pelo menos cada uma destas áreas: pelo caráter dos filho, pela carreira (futuro) e pelo casamento, para que Deus direcione meu filho ao cônjuge com quem compartilhará sua chamada para o resto da vida
II. O pai deve apresentar Deus aos seus filhos (Instrução)

O pai está sempre ensinando seus filhos pelas palavras, pelas ações e pelas atitudes. É impossível escapar do olhar, que admiram tanto seus pais. Sempre estamos transmitindo o que somos para elas. Com tempo, os filhos se tornam o que os pais são. Por isso o pai tem que reconhecer que ele é um “pai instrutor”, sempre instruindo seus filhos como lemos em Dt 6:6-9, pois conforme estes versículos, o pai (instrutor) aproveita toda oportunidade para ensinar seus filhos os valores e princípios bíblicos transmitidos pelo Supremo Pastor. Ensina a Palavra formalmente e informalmente, propositalmente e espontaneamente, em todo lugar e em qualquer lugar, em todo tempo e o tempo todo. Não é um fanatismo evangélico, mas um estilo de vida que avalia toda a vida por uma perspectiva bíblia. “O pai que ama Deus de todo coração, transmite sua fé à outra geração!”
III.O pai deve disciplinar os seus filhos (Intervenção)

A última responsabilidade do pai segue naturalmente as primeiras duas.

O equilíbrio entre instrução e intervenção, ou seja, disciplina, pode ser entendida por meio de uma analogia. O pai vai na frente do seu filho como alguém que quer cavar uma trilha ou valeta em que o filho pode caminhar. No início, a valeta está muito rasa, e o filho pode sair dela com facilidade. Quando isso acontece, o pai coloca seu filho de volta na trilha cavada com firmeza e amor. Com o passar de tempo, a valeta fica cada vez mais funda, e o filho só poderá escapar dela com grande esforço. Quando isso acontece, o papai o coloca dentro do caminho de novo.

 

O pai que realmente ama seu filho precisa intervir quando este deixa o caminho da instrução. Provérbios recomenda o uso da vara, uma consequência artificial, mas estruturada pelos pais, para desviar os filhos do pecado. Deve ser aplicada com força suficiente para arder, mas nunca ferir a criança. Assim o pai ajuda seu filho a associar o pecado com dor, assim evitando consequências muito piores no futuro, proporcionadas pela própria vida.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar Menu