Os Limites do Uso da Tecnologia.

Tu, porém, Daniel, cerra as palavras e sela o livro, até o fim do tempo; muitos correrão de uma parte para outra, e a ciência se multiplicará. Daniel 12:4

 

Por onde ando, tenho observado o uso indiscriminado da tecnologia. Se estamos no trem, no ônibus, no restaurante, na praça, na igreja, vemos pessoas o tempo todo conectadas, seja falando, fotografando ou fazendo uso de jogos ou outros. O objetivo da integração do telefone ao mundo está chegando ao ápice, pois as pessoas querem estar conectadas o tempo todo.Estamos tão dependente da tecnologia que hoje é capaz sair sem dinheiro, mas impossível sair sem o celular, tamanho a nossa dependência ao aparelho. Talvez você me pergunte. O que isso tem de ruim? Onde está o problema, não foi para esse fim que foi criado? O problema não está “no uso”, e sim em “como usar”. É possível que você vá a um restaurante e veja pessoas sentadas na mesma mesa, uma de frente a outra, sem se falarem, fazendo uso do celular. É possível você ver pessoas em um carro sentadas ao lado, e o carona o tempo todo no celular, não desfrutando a companhia da pessoa ao lado. É possível você estar em casa e ver pessoas espalhadas pelos cômodos, ou mesmo no mesmo local, não se falando, mas fazendo uso de alguma tecnologia, menos conversando e trocando ideia. É possível que você veja pessoas, uma de frente a outra trocando mensagens em vez de se falarem. Penso que tem alguma coisa errada com isso!

Perigos do mundo Virtual: Outro ponto a pensar, é sobre mundo virtual, seja por sala de bate papo, facebook, twitter, sites, etc… Cuidado, pois é possível que você se torne outra pessoa. Que minte. Que ofende. Que solte os seus venenos. Que se exponha. Que mostre a sua nudez. Que fale de sua vida, ou da vida dos outras pessoas. Que revele outro lado, seja, na possibilidade de falar o que nunca teria coragem de falar pessoalmente, de se revelar alguém você realmente é, mas nunca admitiu ser. É possível você soltar a sua sexualidade, suas fantasias, fazendo uso de sites pornográficos, tudo por causa do virtual. Cuidado, se você não está sendo quem realmente é. Não é lugar para você, pois está mentindo e sabemos quem é o pai da mentira (Jo. 8:44)

Qual o limite então do uso da tecnologia? Existe? Não seria muita pretensão limitar algo que ainda está em transformação e crescimento? Respondo essas perguntas, com uma simples explanação. Se a tecnologia está nos impedindo o diálogo, precisa de limite. Se está impedindo fazer algo, precisa de limite. Se esta nos impedindo de ser você mesmo, precisa de limite. O limite é o que delineia entre o santo e o profano, o justo e a injustiça, o certo e o errado, a verdade e a mentira, Deus e o diabo. Sem limites não se vive.

Quanto ao uso da tecnologia no culto, quais os limites? Precisamos saber onde estamos, para que estamos e com que propósito estamos no culto. É preciso ter limite no uso das fotografias, do celular, do táblet etc… Pois estamos na casa de Deus e o que nos motivou a ir ao local foi cultuar a Deus e não apresentarmos nossas roupas, poses, selfs e pessoas, não podem prestar culto ao ego, sem perceber. Pois estando com Deus, não darmos a mínima para ele. Então não podemos usar nada no culto? Podemos usar sim, mas com ordem e decência, com sabedoria, pois há de convir que a tecnologia é boa, integra, com ela se prega a palavra, o que precisamos é de limites.

Talvez não seja a pessoa que tenha conhecimento suficiente sobre o assunto, entretanto o que escrevo é fruto das minhas observações. Um forte abraço a todos!!!

Pr. Miquéias Campos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *