Texto: Lucas 18:9-14

É comum vermos pessoas se sentindo indignas diante de Deus, pois seus pecados e condições os deixam com esses sentimentos, a outras que se sentem superiores aos outros, mais santas, a ponto de chegarem diante de Deus cheias de ego é arrogância. É isso que vemos nesses texto, onde duas pessoas que estão no mesmo lugar, mas com atitudes e sentimentos diferentes devido a forma de ver a Deus e a sua religiosidade.mVamos aprender com a vida desses dois homens um pouco mais sobre cristandade, amor ao próximo e a oração.

O significado da palavra fariseu quer dizer “os separados”. Devido o posicionamento que tinha sobre a lei, o jejum e o dízimo. Sempre exerceram grande influencia no meio do povo, mas foi no governo de Alexandre Janeu 103-76 A.C que solicitou a sua esposa Alexandra Salomé que o sucedeu 76-67 A.C a colocar o governo nas mãos dos fariseus, que daí em diante mantiveram posição dominante no sinédrios. Eles passaram a determinar os 613 mandamentos da lei, oprimindo o povo com leis quês não cumpriam, se tornando meros religiosos, com poder sobre o povo dado pelo estado, mas uma religião sem Deus e sem amor.

1) Análise da vida do fariseu no texto.

1.1 – Promoção pessoal, ao chegar diante de Deus, se exaltando (11).

1.2- Sentia-se acima das pessoas, não via o publicando como irmão (11).

1.3 – Usava da lei como um medidor para se afastar das pessoas (12) e sentir-se melhor que os demais.

2) Análise da vida do publicano, cobrador de impostos.

2.1- Reconhecia quem era Deus e quem ele era, pois ficou distante de Deus, devido os seus pecados (13)

2.2- Não se sentia digno de estar diante de Deus, por isso não levantava a cabeça diante dele, ou seja humildade (13)

2.3- Reconhecia ser um pecador em busca de misericórdia e perdão (13). E foi justificado por isso.

3) Lições do texto deixada por Jesus.

3.1- A santidade pode se tornar um mal, se ela me afastar das pessoas e me dá sentimento de superioridade. Ser santo é ser separado do pecado e não afastado do pecador.

3.2- As nossas obrigações não nos faz mais Santos (jejum e dízimo), e sim nos colocam debaixo das promessas e benção de Deus, como prioridades das bênçãos prometidas.

3.3- Tudo que te afasta de seu irmão é reprovado por Deus, pois o sentimento de justiça do fariseu, não era o sentimento de Deus. Ele valorizou mais a sua religiosidade que o amor cristão.

3.4- Devemos aprende a orar, sem julgamento, sem comparação, não fazer a oração de contrato, mas uma oração da alma, que nos aproxima de Deus e dos outros, que reconhece o quanto sumos pecadores.

Que você reflita e veja se a sua “santidade” está te levando para perto ou longe de seu irmão. Se o seu senso de justiça é pessoal, ou tem o crivo de Deus.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.